Comentários Reginaldo Gomes 1985

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Comentários Reginaldo Gomes 1985

Mensagem  Mauricio em Seg Abr 11, 2011 8:18 pm

GP de Mônaco (Monte Carlo)
Creed reage e vence no Principado.

Mais uma vez a Formula 1 chega à Monte Carlo para o seu tradicional GP. A expectativa de boa parte da imprensa e do público era ver se, finalmente, Maxwell Smart acaba com o jejum no circuito de rua monegasco. Até que no ano passado o suíço chegou perto na histórica corrida na tempestade, mas acabou sendo superado pelo novato Juliano Fernandes e no final foi desclassificado pela direção de prova por conduta anti-desportiva. Porém, isso é passado e, durante a semana, Smart falava que achava que era o momento de, finalmente, comemorar uma vitória no Principado, uma das poucas conquistas que ainda faltam em sua vitoriosa carreira.
E nos treinos, o suíço mostrou muita garra com a Brabham e conseguiu, após uma disputa ferrenha, marcou a pole-position, superando por poucos milésimos de segundo o espanhol Juliano Fernandes (finalmente tendo um bom desempenho com a McLaren, que está devendo este ano). Aliás, outros pilotos ficaram bem próximos do desempenho da dupla que se garantiu na primeira fila. Na terceira posição, abrindo a segunda fila, tivemos James Creed, com Rodrigo Ferreira levando a Renault para a quarta posição. Já abrindo a terceira fila, tivemos a surpresa de vermos o talentosíssimo e injustiçado Carlos Henrique levar a novata e pobre Minardi para um improvável quinto posto, enquanto o alemão Gustavo Leite ficou na sexta posição com a outra Renault.
Também tivemos alguns destaques no treino: Pablo Parucci conseguiu finalmente um bom rendimento com a Ferrari, ficando em sétimo, enquanto Michael Raballand e Adrian Rodriguez foram outros dois pilotos que fizeram milagre e levaram as terríveis Osella e Zakspeed para a nona e a décima-primeira posição. Enquanto isso, a Lotus decepcionou, com J.L.Hamilton ficando apenas na oitava posição e Max Rodriguez no meio do pelotão, em décimo segundo. Outro que não fez tão feio foi o boliviano Perez Verdi, conseguindo colocar a Alfa Romeo no meio do pelotão, bem à frente de Ivan Cella.
Eis o Grid de Largada:

1 - Smart - 22.573s
2 - Fernandes - 22.621s
3 - Creed - 22.662s
4 - Ferreira - 22.663s
5 - Henrique - 22.664s
6 - Leite - 22.739s
7 - Parucci - 22.833s
8 - Hamilton - 22.916s
9 - Raballand - 22.952s
10 - Grenelle - 22.958s
11 - Adrian Rodriguez - 22.987s
12 - Max Rodriguez - 22.990s
13 - Nigritz - 22.997s
14 - Fontevecchia - 23.033s
15 - Verdi - 23.074s
16 - Senna - 23.122s
17 - Benito - 23.160s
18 - Azevedo - 23.204s
19 - Cattivo - 23.251s
20 - Cardenas - 23.409s
21 - Pereiravicius - 23.409s
22 - Cere - 23.619s
23 - Cella - 23.700s
24 - Arcuri - 23.918s
25 - Caffi - 24.204s
26 - De Cesaris - 24.838s

Na largada, Smart manteve a ponta, com Creed, em uma bela largada, pulando para a segunda posição, enquanto Juliano Fernandes caiu para o terceiro posto, com Rodrigo Ferreira em quarto, Gustavo Leite em quinto e Carlos Henrique em sexto. Já Pablo Parucci largou mal e acabou se tocando com Darden Grenelle e Max Rodriguez, perdendo muitas posições... parece que a situação do italiano na Ferrari parece que está ficando cada vez mais complicada...
A primeira metade da prova não teve grandes atrações. A dupla da Brabham logo abriu dos demais e impôs (mais uma vez) seu domínio hegemônico e avassalador... Mais atrás, Juliano Fernandes vinha pressionado pela dupla da Renault e o surpreendente Henrique (não pelo seu talento, mas pelo seu carro, a fraca Minardi...). No pelotão do intermediário, dois pilotos davam movimentação à corrida: Adrian Rodriguez, com a também novata Zakspeed, e Lucas Senna, com a Tyrrell (equipe que costuma se dar muito bem em pistas como Monte Carlo). Os dois pilotos conseguiam fazer a proeza de ultrapassar no estreito circuito monegasco, sendo que o destaque vai para duas belas ultrapassagens: a primeira, do piloto mexicano sobre o experiente Michael Raballand, por fora no túnel, enquanto Lucas Senna, aproveitando-se da boa aerodinâmica de seu carro azul, brilhou ao ultrapassar Darden Grenelle na curva da Tabacaria. O jovem brasileiro, realmente, parece ter futuro. Já o mexicano, infelizmente, têm que conviver com a instabilidade de sua equipe, ainda mais que há notícias de que Rodrigo Nascimento, sócio de Eric Zakowski na Zakspeed, teria se desentendido com o dirigente alemão da equipe e, por isso, estaria vendendo a sua parte, ameaçando a continuidade da carreira do também promissor piloto mexicano. Uma pena...
Como a pista de Monte Carlo não desgasta muito os pneus, a maior parte dos pilotos optaram por não fazer pit stop, o que deixou a corrida em sua segunda parte mais emocionante, apesar da briga pela vitória ficar restrita entre Smart e Creed. Realmente, a Brabham está sobrando... isso se deve, sem dúvida, ao talento desses dois grandes pilotos, somados a um dirigente ambicioso (Bernie Eclestone), um projetista talentosíssimo (Gordon Murray), a um motor potente e confiável (BMW) e a pneus que duram mais do que os Goodyear (Pirelli). Na pista, o suíço vinha sendo mais rápido o tempo todo (tanto que a melhor volta ficou com ele), e parecia que, finalmente, havia chegado a sua vez de vencer no Principado. Porém, Creed não queria ver seu adversário fugir ainda mais no campeonato. Por isso, o canadense começou a pisar com tudo no acelerador e, dessa forma, iniciou o ataque a Smart.
Enquanto isso, a briga pelo “campeonato paralelo” também chamava a atenção. Rodrigo Ferreira, usando toda a sua experiência, pressionou bastante Juliano Fernandes, sendo que na volta 50 o jovem piloto espanhol da McLaren sentiu a pressão, rodando na Saint Devaut e caindo para o sexto posto, perdendo posições tanto para o japonês da Renault como para Gustavo Leite e Carlos Henrique.
A partir daí, Ferreira, com sua tocada precisa, manteve com tranqüilidade a terceira posição e a “vitória” no campeonato paralelo. Mais atrás, Gustavo Leite vinha muito pressionado por Carlos Henrique, desagradando Gerard Larrousse que parecia não aceitar muito o fato de um de seus pilotos ser pressionado por um carro da Minardi pilotado por um piloto que não teve seu talento reconhecido pela própria Renault. E a coisa ficou pior, com o brasileiro conseguindo, na Rascasse, ultrapassar o piloto dissidente da Alemanha Oriental, assumindo assim a quarta colocação e enchendo os olhos de que preza por um automobilismo competitivo e cheio de talentos...
Leite pareceu que não assimilou muito a ultrapassagem. Nas voltas seguintes, ele foi alcançado por Juliano Fernandes que, faltando dez voltas, ultrapassou o alemão e subiu para o quinto posto. Realmente, uma corrida para esquecer para Gustavo...
Mais atrás, Lucas Senna encantava muitos, fazendo outras ultrapassagens inacreditáveis... uma, na “reta” principal, por fora, sobre Adrian Rodriguez, que arrancou aplausos do público. E mais para o final da corrida, o brasileiro da Tyrrell iniciou a pressão sobre o próprio tio, o experiente J.L.Hamilton, que fazia uma corrida apenas discreta com a ex-favorita Lotus. E, mais uma vez, Senna conseguiu superar o concorrente com uma outra bela ultrapassagem na entrada da Saint Devaut, mostrando muita coragem realmente (será que ele levou bronca do tio no final da corrida?).
E, na “corrida particular” da Brabham, nas últimas voltas, James Creed começou a tentar ultrapassar Smart. Para tentar evitar uma disputa “desnecessária” que poderia custar a vitória de sua equipe, Eclestone ordenou que os mecânicos mostrassem insistentemente a placa com a inscrição “Smart – pos. 1, Creed – pos 2”. Parece que isso estimulou ainda mais o canadense a lutar pela vitória e, faltando quatro voltas para o final, ele foi com tudo sobre o atual campeão no túnel. O suíço ainda tentou fechar a porta, mas Creed já o havia superado na proximidade da chincane, sendo que o suíço não teve outra alternativa senão aceitar a ultrapassagem e a derrota. E parece que isso afetou Smart de tal forma que, no final, foi pressionado pela Renault de Rodrigo Ferreira.
Dessa forma, Creed confirmou a vitória, com Smart em segundo, Ferreira em terceiro, Henrique (que comemorou como se fosse uma vitória), em quarto, Juliano Fernandes em quinto e Gustavo Leite em sexto, tendo quase em seu encalço o surpreendente Senna, que também comemorou muito o resultado, até agora o melhor de sua carreira.
No pódium, a tensão entre os pilotos da Brabham foi visível... Smart recusou-se a cumprimentar Creed pela vitória e não escondeu a insatisfação na tribuna do pódium, enquanto o canadense comemorava estourando a champanha na cara do príncipe Rainier, quebrando totalmente o protocolo, enquanto Ferreira observava tudo com o característico olhar desdenhoso e indiferente...
Posteriormente, na entrevista coletiva, o suíço expôs a sua insatisfação com Creed: “Combinamos com Eclestone, ainda no GP do Brasil, que aquele que se mantivesse na frente na primeira curva da primeira volta teria prioridade para vencer. O James concordou, mas parece que se esqueceu disso e correu um risco totalmente desnecessário para a equipe... Sei que o senhor Bernie, que é um homem de palavra, vai tentar resolver isso de alguma maneira. Mas esse ‘mal entendido’ não pode continuar...”. Já Creed afirmou que : Não me lembro da referida conversa com o senhor Bernie. Além disso, a placa estava com letras muito pequenas e não consegui enxergar o que estava escrita e, por coincidência, o meu rádio estava quebrado...”. Realmente, a briga pelo campeonato começa a esquentar...

Performance dos Pilotos:
James Creed: Belíssimo desempenho do canadense, que mostrou coragem para se impor e mostrou que fará de tudo para conquistar o bi-campeonato. Nota 10.
Maxwell Smart: Parecia que havia chegado a sua vez em Monte Carlo. Vinha dominando o fim de semana, mas sofreu a “inesperada” pressão de Creed e acabou perdendo, mais uma vez, a chance de vencer a corrida mais badalada da temporada. Nota 9.
Rodrigo Ferreira: Mais uma vez foi “o melhor do resto”. Regular, foi agressivo na hora certa, quando pressionou Juliano Fernandes e forçou-o a um erro. Por pouco não conseguiu roubar o segundo lugar de Smart. Nota 9.
Carlos Henrique: Magnífico e surpreendente, conseguiu fazer o impossível com a Minardi, colocando-a numa histórica quarta colocação. Aliás, o brasileiro vêm se especializando em fazer “milagres”, pois levou, no ano passado, a sofrível RAM para o pódium... Torcemos que, no ano que vêm, finalmente Henrique volte a pilotar um carro competitivo e brigue por vitórias e, quem sabe , pelo título. Nota 10.
Juliano Fernandes: Mostrou que é bem competitivo em Monte Carlo. Mas, largando em segundo, com uma McLaren (atual campeã do mundo de construtores), esperava-se mais... errou na largada e na briga com Ferreira e o quinto lugar ainda foi lucro... Nota 7.
Gustavo Leite: O alemão cometeu muitos erros em uma pista que costuma ir bem e aonde já venceu (1982). Desempenho decepcionante que só se salvou devido a conquista de mais um pontinho... Nota 6.
Lucas Senna: Belíssimo desempenho, na corrida, do jovem brasileiro. Nos treinos, não foi muito bem, o que deve ter custado caro no resultado final (poderia ter chegado nos pontos). Fez várias ultrapassagens arriscadas, superou o próprio tio (mais experiente e correndo com um carro de ponta) e mostrou que pode dar trabalho no futuro. Nota 9.
J.L.Hamilton: Mais uma corrida decepcionante da Lotus, tanto com Hamilton quanto com Max Rodriguez... se esperava bem mais do brasileiro que fez boas corridas pela Ferrari no ano passado com o carro negro... Peter Warr deve estar com saudades de Creed e Ferreira... Nota 5.
Adrian Rodriguez: Apesar da precariedade da Zakspeed e das desavenças de seus proprietários, o mexicano fez mais uma bela corrida e mostrou que pode ter uma boa carreira na categoria, se tiver condições financeiras e materiais para isso... Nota 8.
Michael Raballand: Apesar de não ter sido espetacular, fez uma corrida muito boa com a Osella, ficando no “top ten”. Nota 8.
Darden Grenelle: Decepcionou em Monte Carlo, se comparado às primeiras corridas, onde sempre esteve próximo dos seis primeiros. Nota 6.
Alex Nigritz: Sofreu com os problemas da Williams, que não se acerta com os motores Honda, tendo que se contentar em ficar no bloco intermediário. Nota 6.
Vitor Fontevecchia: Ficou mais próximo de Grenelle, mas ainda assim longe do que se esperava dele no início da temporada. Nota 5.
Max Rodriguez: Está tendo muitas dificuldades de se ambientar na Lotus... corrida sofrível, passiva, sem muita combatividade, decepcionando seus fãs... Nota 4.
Stefano Benito: Como a McLaren pode apostar em um piloto de recursos limitados como esse italiano? Apenas razoável aqui em Monte Carlo... Nota 4.
Perez Verdi: Bom desempenho do boliviano, que pilotou a Alfa Romeo no limite e conseguiu o que se esperava desse carro apenas razoável... Nota 6.
Pablo-Pietro Parucci: Que fase... o italiano ainda mostrou a velha competitividade nos treinos, mas na corrida... largou mal e cometeu um erro logo no começo da corrida e não esboçou reação nenhuma... sem dúvida, essa ida para a Ferrari não foi uma boa para ele... Nota 3.
Javier Cardenas: Discretíssimo em todo o fim de semana, pelo menos andou no ritmo de Parucci, mas isso atualmente não quer dizer muita coisa... Nota 3.
Girolungo Cattivo: A Arrows não ajuda muito em pistas de rua, mas o italiano também não mostrou muita combatividade aqui... Nota 3.
Marco Azevedo: Inesperada essa queda de produção do luxemburguês... superado com facilidade por Nigritz, em nenhum momento conseguiu andar mais à frente... Nota 3.
Kai Cere: Outro que ficou devendo muito em Monte Carlo... péssimo desempenho da Toleman... Nota 3.
Ivan Cella: Pelo menos, brigou com um ex-campeão mundial.. mas, ficou bem atrás de seu companheiro de equipe... Nota 3.
Wilians Pereiravicius: Discretíssimo, praticamente só fez número... Nota 2.
Alex Caffi: Conseguiu ser pior do que Cattivo... realmente, má fase da Arrows... Nota 2.
Gustavo Arcuri: Novato e considerado promissor, Arcuri não se encontrou no Principado... um de seus piores desempenhos, sem dúvida... Nota 1.
Maurizio de Cesaris: Chincane ambulante... precisa dizer mais! Nota 0.

Reginaldo Gomes
Folha de S. Paulo

Mauricio

Mensagens : 2
Data de inscrição : 09/04/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Comentários Reginaldo Gomes 1985

Mensagem  max rodriguez em Seg Abr 11, 2011 10:03 pm

Não quero nem ler as próximas reportagens, pois o meu desempenho esse ano está sendo decepcionante.
avatar
max rodriguez

Mensagens : 40
Data de inscrição : 09/04/2011
Idade : 43
Localização : Anápolis-Go

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Comentários Reginaldo Gomes 1985

Mensagem  Ramón Valdez em Ter Abr 12, 2011 3:24 am

Caramba, o que saiu sobre mim nessa reportagem era pra emoldurar e colocar num quadro Very Happy , eu realmente fiz uma boa corrida mas descrita tão brilhantemente (como sempre o faz) pelo Mauricio, fez com que se tornasse uma atuação ainda mais especial pra mim!

E eu ainda vou tentar vencer em Mônaco novamente \o/!

Ramón Valdez
Admin

Mensagens : 109
Data de inscrição : 08/04/2011
Idade : 34
Localização : Santo André

Ver perfil do usuário http://formulagp2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Comentários Reginaldo Gomes 1985

Mensagem  narigudis em Ter Abr 12, 2011 4:30 am

Excelente reportagem, MTP! cheers

Creed me paga por essa derrota Mad

narigudis

Mensagens : 26
Data de inscrição : 09/04/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Comentários Reginaldo Gomes 1985

Mensagem  Thiago em Ter Abr 12, 2011 5:05 am

Grande reportagem MTP !

Valeu por ter me conseguido fzr uma ultrapassagem em Mônaco, ainda mais em cima do Maxwell !

Thiago

Mensagens : 10
Data de inscrição : 12/04/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Comentários Reginaldo Gomes 1985

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum